Development Produtividade

O que é CAPEX e OPEX?

Para uma organização realizar suas atividades, existe uma operacionalização de custos por trás visando a não ocorrência de prejuízos e gastos excessivos, além de pensar em melhorias, o que faz com que a empresa tenha maior rentabilidade financeira.

Para isso existe o CAPEX e OPEX: áreas de uma determinada empresa que lidam com situações cotidianas, a fim de reduzir os impactos dos custos operacionais.

O CAPEX diz respeito aos custos com as melhorias necessárias na aquisição de bens ou recursos, e o OPEX se relaciona ao gerenciamento de pagamentos e realização das vendas de serviços ou produtos.

Tanto o CAPEX quanto o OPEX são parâmetros muito importantes para a gestão financeira. O primeiro diz respeito ao quanto é destinado para o investimento em equipamentos, espaços físicos, alocação de máquinas, periféricos, dispositivos, softwares, e tudo mais que possa contribuir ao crescimento da empresa.

Já o segundo é relacionado com o capital destinado para melhorar ou garantir a manutenção de bens físicos, como terceirização de serviços, manutenção de máquinas, salário dos funcionários, entre outros. 

Em geral, um alto custo de OPEX não é bem visto, do ponto de vista financeiro, pois para se obter uma boa margem de lucro, as despesas têm de ser reduzidas apenas as essenciais. O CAPEX possui uma boa reputação quando trabalha com margens altas, visto que seu objetivo final é o investimento, que gerará retornos futuros para a organização. Desse modo, o valor utilizado não é o dado analisado e sim, qual foi o saldo entre o que foi gasto com os ganhos obtidos.

Sendo um indicador bastante importante, o CAPEX diz o quanto a empresa investe em si mesma. Logo, quanto maior o valor utilizado, maiores são as chances dela se desenvolver e aumentar as ações. Isso demonstra ao mercado que a empresa possui visão de futuro para novos projetos, com a busca de aprimoramento e atualização com equipamentos de ponta.

No entanto, para que isso de fato ocorra,  a rentabilidade deve ser a maior possível. Do contrário, estaremos diante de um custo que não gera retornos. Na prática,  basta visualizar o número e qualidade dos projetos realizados, lucro e satisfação dos clientes.

Em contrapartida, o OPEX busca indicar quanto a empresa teve de gastar para manter o seu funcionamento.

Alguns exemplos, podemos citar:

  • eventuais terceirizações de serviços em que a empresa necessite para agilizar o fluxo de trabalho;
  • salários;
  • contas de água, luz, internet;
  • transporte;
  • outros encargos adicionais.

Sendo assim, é um indicador que mostra à organização quais os possíveis gastos que estão afetando o seu desempenho financeiro ou ainda, quais serão os ganhos necessários para que a empresa não passe o mês no “vermelho”, além do quanto estará disponível para o CAPEX.

Ambos os indicadores têm uma finalidade maior que é auxiliar na criação do planejamento e das metas de uma determinada empresa.

Tanto um quanto o outro é fundamental no desenvolvimento do balanço mensal e anual, além de proporcionar informações suficientes para que a alocação da verba seja eficiente.

Além disso, para que a empresa possa criar objetivos para seus funcionários e diretores, é preciso que ambos estejam equilibrados, pois tanto o excesso como a insuficiência de um dos dois ou ambos, pode gerar consequências importantes.

Entre as consequências do lado do CAPEX, no cenário de valor baixo estão: impedimento da expansão e crescimento da empresa, acúmulo de capital em caixa, equipamentos desatualizados e piora na qualidade do trabalho ou serviço prestado. Já em caso de um alto índice, é possível que a renda destinada aos custos de OPEX seja insuficiente e, portanto, não atinja o limite mínimo para sua sobrevivência.

Em relação ao OPEX, o que ocorre, no caso da destinação de uma verba acima da recomendada, é a atribuição de custos desnecessários – e que podiam ser descartados, e a adição de custos adicionais da operacionalização – e que podiam ser revertidos para o CAPEX que, por sua vez, teria pouca destinação de recursos.

Quando há redução em seu índice,  há a possibilidade dos funcionários manifestarem insatisfação na redução de seus salários, perda de mão de obra com a diminuição do número de colaboradores, piora na qualidade dos serviços necessários para que a empresa continue funcionando, entre outros reveses. 

Por fim, cabe citar as relações que envolvem o CAPEX na gestão empresarial, entre elas estão:

CAPEX sobre a Depreciação e Amortização e CAPEX sobre o Fluxo de Caixa Operacional.

Na primeira, caso o valor final obtido seja maior que 1, a empresa está investindo mais que apenas na manutenção das suas operações; caso seja igual a 1, está apenas mantendo suas atividades.

Na segunda relação, caso o resultado seja maior ou igual a 100%, significa que a empresa está investindo mais do que está gerando; e para menor ou igual a 100%, que está retendo uma parte do montante de suas receitas.

Gostou desse conteúdo e quer saber mais?

Entre em contato com nossos consultores especialistas pelo
(31) 3181-0211 ou envie um e-mail para comercial@dcit.com.br

Temos a solução perfeita para o seu negócio!

Sobre o Autor

Leandro Lima
Leandro Lima
Leandro Lima é entusiasta da Computação em Nuvem e apaixonado por disseminar conhecimento sobre inovação e novas tecnologias. Especialista em Cibersegurança e Cloud Computing Atualmente exerce a função de Head de Tecnologia e Transformação Digital na DCIT TECNOLOGIA. Possui mais de 25 certificações profissionais em TI, dentre elas, Cisco CCNA / CCNP / ITIL / AWS Technical Professional / AWS Business Professional e AWS Solutions Architect Associate.